The Making of Harry Potter – Parte II

A parte II chegou! Vou te situar a respeito da minha situ no momento… são 00:15 de uma quinta-feira, estou empolgadíssima pra escrever e então bora continuar falando sobre nossa visita ao estúdio de filmagens do Harry Potter! ✷ No post anterior eu mostrei o primeiro terço do tour, vou tentar fazer os outros dois terços caberem aqui. Ah, vou sublinhar todas as peças que eu citar e que estiverem presentes no tour, ok?

Bom, eu estava falando sobre um galpão imenso cheio de peças presentes nos filmes, certo? Então, essas peças iam desde pequenos objetos como brincos ou varinhas até móveis enormes e estruturas pesadas. Depois de ver um pouquinho do figurino da Luna, Lockhart, Delacour e Harry, a gente deu de cara com o que? Os portões de Hogwarts! Como se não bastasse, você vai um pouquinho pro lado e vê o dormitório masculino dos alunos da Grifinória, ass caminhas, as malas e até a janela… é chocante porque a cada passo eu mandava: “ooooh”, “putsssss”, “CA-RAM-BA!”, “veeeeei”, “paraaaa”, “mintchiraaaa”, “nããããão”, “Léo, to passada” e por aí vai.

Eu imagino que várias varinhas iguais tenham sido feitas pros filmes (segundo a revista TIME, Daniel Radcliffe usou cerca de 60-70 varinhas diferentes), mas ainda assim é fascinante ver alguns dos seus exemplares. Logo em seguida encontrei uma das peças que mais me deslumbrou em todos os filmes, o espelho de Ojesed, ou Erised em inglês. Na foto, você pode observar que nele está escrito “Erised strae hru oyt ube cafu oyt on wohsi”, que lido ao contrário significa “I show not your face but your heart’s desire”. Em português, “Não mostro o seu rosto mas o desejo em seu coração”, Erised (“desire” ao contrário em inglês) significa “desejo” (Ojesed ao contrário em português).

O retrato da Mulher Gorda não poderia faltar, sempre presente e dona de uma personalidade um tanto diferente, ela fez parte de todo o enredo. O salão comunal da Grifinória também tava lá, com suas poltronas, lareira e com direito a participação especial dos suéteres que a Molly fazia para os meninos, ahhh tinha também alguns manequins vestindo a roupa que a Hermione e o Rony passaram praticamente o terceiro filme inteiro usando, o moletom rosa dela e o suéter vermelho dele! Um amor… bom, andando um pouquinho mais, encontramos a capa da invisibilidade, com fundo verde e tudo, junto com algumas peças de roupas usadas por Mione e Rony. Mais figurinos a diante, o do Lupin estava vestindo um manequim que fazia pose como ele no filme, a mão dentro do bolso e do seu lado as roupas do Sirius cobrindo o boneco tatuado igualzinho a ele!

Nossa, tenho muuuuita coisa pra contar ainda, prevejo um terceiro post sendo necessário! Sem mais delongas, o Léo sentou um pouquinho e continuei minha caminhada sozinha. Acho que meu coração tava batendo mais forte, ao pé da letra. Nunca na minha vida eu testemunhei tamanho empenho pra fazer um filme acontecer e talvez eu não testemunhe outra vez (só quando eu voltar no estúdio, lógico). Quando eu via uma coisa surpreendente eu pensava: “não, esse foi o máximo que meu cérebro entende por surpresa” e cinco segundos depois eu só precisava olhar pro lado e pensar: “não, ESSE foi o máximo” e esse máximo não teve fim… até o último minuto que eu passei dentro do estúdio.

Respira gente, porque agora o negócio começa a ficar mais pesado! Hahaha. Andei mais uns três passinhos (fica tudo muito juntinho, mas não dá pra ver o salão inteiro de uma vez porque tem várias coisas no meio atrapalhando uma visão de 360º do lugar) e vi o pêndulo do Relógio da Torre, em Hogwarts. Enorme e balançando. Bem pertinho dele estava outra daquelas peças que não tem como não reconhecer, a entrada para a sala do Dumbledore, mais precisamente, aquela fênix enorme esculpida com as asas formando um abraço, esperando a senha correta pra dar acesso ao escritório do diretor.

Depois de dizer a senha que Dumbledore me deu quando eu estudei lá caminhar uns dois metros, fiquei frente a frente com a sala dele. Absolutamente inacreditável, sério, não sei como descrever aquele lugar sem usar a palavra “inacreditável”, tinha tudo lá! Vou respirar fundo e falar tudo de uma vez, lá vai: o chapéu seletor, a espada de Grifinória, a Penseira, um manequim do Dumbledore, astrolábios, váááários itens astronômicos, os vidrinhos que guardam as memórias das pessoas, e, bem, muuuito mais.

Hahahaha, chegou a vez dos objetos pequenos. Faça as contas comigo, 8 filmes, 19.6 horas, 3407 páginas (versão original) e 120 óculos usados por Daniel Radcliffe depois, dá pra imaginar a quantidade de “coisas” produzidas só pra essa série de filmes. Muitas delas eram destruídas depois de usadas, mas as principais permaneceram e estão lá, cuidadosamente distribuídas em um estúdio só pra você poder sentir um pouquinho do que J K Rowling fez pra literatura moderna.

No meio do salão tem um lugar cercado por uma tela, com muitos objetos aleatórios, que não foram dados tanto enfoque no filmes, os itens secundários, digamos assim, ou terciários, ou até mais. Dentro tinha a placa indicando Hogwarts e Hogsmead (pra mim essa merecia um lugar de destaque), uma vitrola bem grande (acho que é da cena que ele ganha o desafio dos dragões no Torneio Tribruxo masssss não confiem em mim!), alguns ossos, varinhas, pilhas de livros, lustres, aaaaah e a arpa do primeiro filme, usada pra acalmar o Fofo, lembra? E mais um monte de tranqueira.

Impressionante o que estava em volta desse cercado, prepara seu coração! Vou falar tudo de uma vez de novo! A taça do Torneio Tribruxo, o Cálice de Fogo, a Pedra Filosofal, a placa de Azkaban que o Sirius segurava na foto de procurado, o ovo de ouro, o pomo de ouro usado no sétimo filme, o deluminador, o lembrol e o vira-tempo, simplesmente de tirar o fôlego literalmente, acho que eu tinha um mini ataque no coração a cada coisinha nova que eu encontrava.

Do ladinho disso, tinha também algumas peças da sala de Defesa contra a Arte das Trevas como a vitrola do Lupin, aquele dragão pendurado no teto, até o professor Snape vestido de avó do Neville!!! Agora um dos sets mais detalhados do universo inteiro, a sala de Poções. Li que ao todo são mais de 1000 vidros e frascos preenchidos e nomeados, realmente o detalhe faz a riqueza do filme. Algumas mesinhas dispostas ao longo da sala, um Snape e outro professor e várias poções. O mais interessante é que a colher mexia dentro do caldeirão, como se estivesse enfeitiçada.

Ah! Você achou que eles não dariam os devidos créditos aos animais que interpretaram Edwiges, Canino, Bichento e Madame Norrrrrrrra? Acredite, Edwiges foi interpretada por 4 corujas diferentes, Bichento por 4 gatos e Madame Norrrrrrrra por 3. Nada mais, nada menos do que 9 cães fizeram o papel de Canino durante os filmes, meninos e meninas! Hahaha. A cabana do Hagrid também é sensacional, pequena e aconchegante mas cheia de objetos estranhos. Guardados por uma cerca pequena estava a entrada para a Câmara Secreta e a porta do cofre da Bellatrix. Lembra da cena da cobra de bronze passando em volta da porta e todas as outras abrindo espaço pra ela? Então, é arrepiante ficar perto disso tudo.

Um dos lugares mais confortáveis e familiares de todos os filmes também não podia faltar, a cozinha da Toca. Parece tão absurdamente real, aconchegante, na pia uma escova esfregava a frigideira sem parar! Hahaha. Os figurinos da Molly, Arthur e Carlinhos ou Gui e provavelmente da Gina estavam dentro da cozinha, vestindo os manequins.

[Spoiler] Aí quando você acha que já viu de tudo me vem os criadores do estúdio e colocam as horcruxes em uma prateleira de vidro, eu não sabia se eu dava risada, se eu tirava foto, se eu admirava… enfim, fiz os três. Todas estavam lá, inclusive uma foto simbólica da horcrux principal: Harry. A Nagini horrorosa também estava sendo representada simbolicamente. [Fim do spoiler]

No decorrer do passeio, mais um moooonte de coisa eu encontrava. As vassouras principais: Nimbus 2000, Nimbus 2001 e a Firebolt. Os balaços, a goles, os uniformes de quadribol, a roupa da Madame Hooch, o malão do Lupin, o baú do Olho-Tonto e uma janela que eu achei muito interessante, se você olhasse pra dentro dela, ela mostrava a sala do Dumbledore, te fazendo sentir olhando por fora do castelo. Lá também tinha a escada que se mexia (li também que só uma escada foi construída para as gravações, o resto foi tudo feito no computador).

Uau, e eu achei que fosse caber tudo nesse post. Vou te deixar tomar um fôlego antes de terminar, ok? Volto logo, logo com a terceira e última parte do post sobre minha experiência nos estúdios de filmagem do Harry Potter. Byeeee. Ps.: são 03:07… haha.

libellule

Um comentário sobre “The Making of Harry Potter – Parte II

Comente! ♥

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s