The Making of Harry Potter – Parte III

Olááá! Mais empolgada do que nunca voltei pra escrever a 3º (e, espero, última) parte do post sobre o Harry Potter Studios. Ontem levei 3 horas pra escrever cada detalhe da minha experiência e agora vamos ver se eu consigo terminar. Ok, terminei o último post te contando sobre a escada feita pro filme e algumas curiosidades sobre ela, vou começar esse te mostrando mais ou menos como eram feitos os efeitos especiais.

Quase no finalzinho do passeio pelo galpão, tem uma telona verde bem grande e, na frente dela, o carrinho que transporta os clientes de Gringotes para seus cofres pessoais, uma vassoura e a moto de Hagrid. Se você é fã e já viu os filmes clica AQUI! pra ver como funciona, se você clicar no minuto 9:58, vai ver direitinho como a estrutura embaixo do carrinho movimenta ele. Dava pra fazer um vídeo em cima da vassoura! Mas acho que era preciso pagar separadamente, ou não, não tenho certeza. Tinha também uma barraquinha com um homem mostrando como os efeitos de gelo e fogo eram feitos, mas sem necessidade de computador e tudo mais.

A cena dos Comensais da Morte reunidos na mansão dos Malfoy foi reproduzida perfeitamente, todos os manequins vestidos como eles sentados ao redor de uma mesa, com Nagini pronta pra abocanhar a vítima e Snape discutindo com Voldemort, os cabelos dos Malfoy também são impossíveis de esquecer. Na frente dessa cena se encontra aquela lojinha feia na Travessa do Tranco, dedicada à Arte das Trevas, Borgin e Burks, aquela da mão que agarra o Harry, lembra? Quando ele viaja pra lá acidentalmente com pó de flu pela primeira vez.

O lugar mais cor-de-rosa do universo você, que é fã, sabe onde é, né? A sala da Dolores Umbridge. Aquela bitch. Tudo bem, a sala é uma fofura, cheeeeia de detalhes pink e que lembram gatos de alguma forma. Você já notou que essa parte é onde ficam as peças mais sombrias dos filmes, certo? Então não poderiam faltar as máscaras dos Comensais, nem um protótipo de dementador!

Bem no finalzinho do tour pelo salão estavam alguns itens grandes do Ministério da Magia, como aquela estátua na qual trouxas são esmagados por uma peça muito pesada onde estava escrito “Magia é o poder”. Tinha também aquelas construções com janelas de azulejos coloridos. E lá, em cima da saída, podemos ver o último objeto do salão, o túmulo dos Riddle, inacreditável.

Droga, frio! Saímos do galpão quentinho direto pra noite da Inglaterra, nesse espaço aberto, conhecido como a segunda parte do tour, estão peças imóveis e realmente grandes como o Nôitibus, a casa dos tios do Harry, a casa dos pais do Harry, a moto do Hagrid e o Ford Anglia azul do pai do Rony, tem também algumas daquelas peças de xadrez de bruxo gigantes que o Rony teve que jogar no primeiro filme e até um pedaço da ponte de Hogwarts! De vez em quando um aparelhinho soltava um jatinho de neve na gente! Hahaha, não tem como não se apaixonar.

Chegou a última parte do tour! (Ahhh, acabei de ganhar da minha mãe O Livro das Criaturas de Harry Potter, depois vou escrever sobre ele ♥). Graças à Deus entramos em outro ambiente quentinho, uma mini salinha com vários inferis de tamanho real, um grindilow e uma Bathilda Bagshot horrorosa! Depois parece que a gente entra ainda mais na produção do filme, uma sala grande com muita coisa, na verdade, a sala onde estão as criaturas. Primeiro, à direita, dei de cara com várias máscaras e protótipos de rostos como os do Nick-Quase-Sem-Cabeça, o daquele bichinho do Nôitibus Andante, váááárias das máscaras usadas nos duendes de Gringotes. Muitos itens de maquiagem e transformações corporais também são encontrados lá, caixas de penas, pincéis, grampos, cabelo e tinta.

Outra coisa muito legal, é o jeito que eles mostram como algumas coisas funcionam por dentro, como O Monstruoso Livro dos Monstroscomo as Mandrágoras se mexiam, muita tecnologia dentro desses bichinhos! Sereianos, a cabeça de tubarão do Krum, Diabrete da Cornuália e muitas outras coisas. Umas das criaturas mais graciosas de todas é a Fawkes, a fênix de Dumbledore, e ela também está lá! Linda e majestosa, parece que vai se mexer a qualquer momento. O lobisomem Lupin também está exposto, assim como Sirius em versão animago, a cabeça do gigante meio-irmão do Hagrid tabém!

Tem uma pequena área coberta por vidro, nela está deitado um pequeno Voldemort, fraco e muito pálido, se você aperta um botãozinho, dá pra ver ele respirar e se mexer, a mesma coisa acontece com um robô da Edwiges perto dele, ele mexe a cabecinha e abre as asas se a gente aperta o botão. Se você olhar pro alto também pode ver um balão vestido de tia Guida! Hahaha, tem muita tecnologia nessa área, motores, controles e engenhocas usadas para dar vida às criaturas. Em caixas de vidro também estão estátuas de personagens, alguns em tamanho real, alguns nem tão real. Só sei que o Dumbledore é SURREAL de tão REAL! Parece que ele está de olhos fechados, mas vivo, na sua frente.

[Spoiler] Do lado dos personagens em tamanho real está o Dobby, um dos personagens mais amáveis e queridos, só que eu achei muito triste deixarem ele do jeitinho que ele morreu, com a roupa com sangue e os olhinhos fechados, mas eu acho que eles conservam as peças exatamente como elas foram encerradas no filme… tudo bem, o próprio Dobby estava lá! Hahaha, muito lindinho! Ah, minha cara na foto com ele é de indignação sobre o que acabei de falar aí em cima, ok? [Fim do spoiler]

Ahhhhhh chegou uma das minhas partes favoritas do tour! A parte das criaturas gigantes e monstruosas! Hahaha, tão legal gente! Porque mesmo sabendo que eles usaram computação pesada pra dar vida aos animais, nós também entendemos que eles se basearam em um modelo real, e estes modelos estavam todos lá! A cabeça do, se não me engano, dragão Rabo-Córneo Húngaro, um Testrálio, os ossos do Basilísco, Aragogue (!!!!!), a cabeça do Basilísco ainda vivo, a cabeça da Madame Maxime, o olho-tonto do Olho-Tonto, a perna dele também! Os sapos gigantes cantores de não me lembro qual filme também estavam lá e PARA TUDO… o Bicuço! Lindo! Ele tava deitado em uma pose majestosa e pra acabar de matar a gente do coração ele se mexia!

Clica AQUI! pra ver como o Bicuço se mexe (obs: o vídeo não é meu, encontrei no YouTube, mas foi exatamente isso que eu vi, tenho um vídeo mas não consigo colocar no blog). Ah, essas vozes por trás do vídeos são de um ator e de um dos responsáveis pelos efeitos especiais e produção do Bicuço, eu acho, nessa terceira parte do tour, tem alguns vídeos projetados na parede onde pessoas da equipe de filmagens explicam como eram feitos alguns dos efeitos. Um outro dragão pequeno que parece muito o Rabo-Córneo Húngaro (talvez seja ele) também estava suspenso pelo teto.

Saindo dessa sala, andamos um pouquinho e PÁ! estamos no Beco Diagonal, quase perdi o ar, genteeeeeeee, não dá! É muita coisa pro meu coração! Hahaha, eu não tô exagerando, aquela rua com as lojinhas Floreios e Borrões, Sorveteria Florean Fortescue, Madame Malkin, Gemialidades Weasley, Olivaras, o Gringotes, Animais Mágicos, entre outras. Incrível, tudo tão organizado que, segundo minha mãe, quem não sabe do que se trata e olha as fotos pensa “nossa que cidade mais bonitinha, onde fica?”

Arquitetos se preparem! Essa vai ser sua parte preferida! Não sei exatamente como chamar essa sessão, mas aqui vai: parte do tour onde estão as plantas, os desenhos, os projetos, as maquetes e as artes gráficas dos filmes. Antes de tudo aquilo lá atrás acontecer, precisa ser perfeitamente projetado, calculado e desenhado, pra que seja exatamente como J K Rowling descreveu nos livros e pra isso, existe uma equipe muito grande que trabalha minuciosamente nos detalhes.

Alguém teve que imaginar como seria o Dobby, alguém teve que desenhar como seria Hogwarts, alguém teve que pensar como seriam os dementadores ou como pareceriam as máscaras dos Comensais da Morte. Aliás, não só alguém, mas uma equipe inteira! Costumo conversar isso com a Dre, J K Rowling criou um mundo completamente novo e não foi fácil fazer com que esse mundo virasse realidade em proporções perfeitamente reais, resumindo, uma parte inimaginável.

Depois dos desenhos, está uma mesinha e uma redoma pequena, na frente da mesinha, uma moça explicando algumas coisas e em cima da mesa… o Mapa do Maroto! O verdadeiro (selo “guia na frente da mesinha” de confiança! Perguntei pra ela e ela confirmou) Mapa do Maroto. Alguns exemplares do Profeta Diário e duas cartas de Hogwarts assinadas pela professora Minerva. Na redoma alguns livros, identidades e cartas citados e usados no filme como o Berrador da Molly; Os Contos de Beedle, o Bardo; Animais Fantásticos e onde habitam; a passagem para Hogwarts da plataforma 9 3/4 e alguns sicles, galeões e nuques.

Passadas a redoma e a mesinha, estão vários quadros na parede, onde artistas gráficos pintaram o que imaginavam das palavras de J K Rowling, vibrantes e muito bonitos, depois, encontramos a ala das maquetes. Várias maquetes de um tipo de papelão, não sei dizer, estão disponíveis lá, Hogwarts, o corujal, uma das pontes, até o banheiro dos monitores e o navio de Durmstrang. Incrivelmente detalhados e reais.

Voilá! A parte final do tour. E sem mais demora, com vocês… a coisa mais surreal que já vi no mundo: uma maquete com escala de 1:24 de Hogwarts! O negócio é tão magnífico que, como a Europa está passando pelo inverno, a maquete estava coberta por neve. Eu já tinha visto fotos dela mas NUNCA pensei que fosse ser desse tamanho! Imaginei uma maquete grande, claro, mas não uma maior do que eu três vezes. Segundo informações encontradas no próprio estúdio, essa era a maquete usada para os takes de fora da escola, ou seja, é a verdadeira Hogwarts! Com ajuda de efeitos especiais ela se torna completamente real nos filmes, acredite, ela é até iluminada por dentro. O mais legal é que, pra chegar até a saída, você precisa dar uma volta completa por ela, 360º de arquitetura e trabalho pesado. A iluminação também muda a todo tempo, parece que o tempo vai passando, dia, noite, tarde, manhã. Como eles dizem: breathtaking. 

Depois tem uma sala enorme LOTADA de varinhas, com nomes em todas! Até o nome da J K Rowling, mas não achei o dela :( hahaha. Depois tem a loja do estúdio, ou seja TUDO o que imaginar dá pra comprar, tinha muita coisa meijmo! Varinhas, camisetas, cachecóis, chaveiros, cadernos (o Léo me deu um da Grifinória), bichinhos de pelúcia, Mapas do Maroto, sapos de chocolate (o Léo comprou um e tiramos a Rowena Ravenclaw!), feijõezinhos de todos os sabores, vira-tempos e muuuuuita coisa. Só que a libra é aquela coisa né? Segundo uma amiga “quem converte, não se diverte” mas eu não tinha muito dinheiro então fui obrigada a converter! Hahaha.

Então passamos um pouquinho mais de frio (0º) esperando nosso ônibus chegar, 21:15. Acho que é isso… hahaha. Se você pedisse minha opinião sobre os melhores lugares pra visitar enquanto estiver com tempo em Londres (afinal, não deixa de ser uma pequena viagem até a cidade de Watford) eu recomendaria essa visita entre as melhores, com certeza fãs de Harry Potter, incluindo crianças, vão aproveitar inteiramente tudo o que eu escrevi aqui.

E pra quem não for fã? Vale a pena? Não sei, apesar do lugar ser surreal de mágico e uma experiência mais que inesquecível, consigo imaginar que talvez muita gente não aproveite a visita, simplesmente por não saber do que se trata e pronto, se você não conhece os filmes, vai chegar lá e ver um moooonte de tranqueira e não vai se importar. Então cabe a você decidir se vale a pena ou não. Faça um orçamento no site do estúdio, clique AQUI! para ser redirecionado ao site que eu usei pra fazer a compra. No total, minha entrada e a do Léo + passagem de ida e volta (do centro de Londres, perto da Victoria station) ficou 100£ (libras). Confira se seu bilhete inclui transporte de ida e volta antes de comprar! Consegui um preço especial por causa do horário que eu fui.

Agora, um pequeno resumo sobre a experiência. Eu nunca imaginei que essa visita fosse ser tão satisfatória, lógico, eu soube que eu iria endoidar assim que entrasse no estúdio, mas nem passou pela minha cabeça tanto capricho por parte dos organizadores. Quando assistimos os filmes, vemos tudo pronto! Tudo perfeito, sem motivos nenhum pra gente colocar defeito. Mas o que não imaginamos é o tamanho do trabalho e da produção por trás de tudo isso. Ver uma coisa pronta e escrever sobre ela pode ser até fácil, mas ler uma coisa e fazer com que ela saia do papel e vire algo de verdade, aí é pra profissional, e que profissionais, hein?

Li no wikipédia em algum lugar que o orçamento total dos 8 filmes foi de U$ 1.550.000.000,00, e a receita mais de U$7.000.000.000,00. O investimento foi enorme e o resultado surpreendente. Quando eu digo que a cada passo era uma surpresa nova, eu não minto, teve muitas vezes em que eu quase chorei e algumas em que eu senti meus olhos se encherem de água, acho que por saber o tanto que a história do Harry foi parte da vida de muitas crianças e adultos, inclusive da minha e também por reconhecer que J K Rowling contou uma história de amor de um jeito tão sutil, tão bonito e isso ainda vai tocar corações por gerações e gerações.

Ver como tudo foi feito não estraga o sentido do filme, muito pelo contrário, me fez perceber que a magia real tá em fazer com que os outros saibam que ela realmente existe. Fazer uma história escrita virar realidade é mágica. Esse passeio foi uma das (se não “A”) melhores coisas que eu fiz nessa viagem, valeu a pena cada centavo de libra gasto. E se eu viajasse pra Inglaterra novamente esse ano, eu voltaria lá com toda certeza!

Muito obrigada pela paciência, eu queria compartilhar pedacinho por pedacinho dessa experiência e acho que consegui! Essa viagem ao mundo do Harry vai ficar pra sempre no meu coração e na minha lembrança. Inesquecível. Até o próximo post potterheads… ♥

libellule

3 comentários sobre “The Making of Harry Potter – Parte III

  1. Guilherme Salvati disse:

    Oi Gaby, finalmente terminei de ler seus relatos. Fiquei muito feliz com cada detalhe da sua experiência. Sou fã de Harry Potter desde o ano 2000, e vivi todos os grandes momentos dessa série, e me dá tanto orgulho ver que ela continua atraindo novos fãs. Harry Potter é a melhor coisa que aconteceu na minha vida, e na de outras milhares de pessoas, como você deve saber Harry Potter é a série mais lucrativa da história do cinema e da literatura, dona de inúmeros recordes. J.K. Rowling é uma inspiração para qualquer pessoa, ela estava no fundo do poço e se reergueu. Não me importa quantos anos passem, Harry Potter é, e sempre será meu amor número 1. E já vamos preparar o coração para ”Animais Fantásticos”, que será uma nova forma de ficar perto desse mundo mágico novamente.
    After all this time? Always!

    • Gabriela disse:

      Oi Gui! Bom, primeiro, muuuito obrigada por visitar o blog. Eu gostaria que todo mundo tivesse a oportunidade de se apaixonar pela série assim como você e que tivessem a mente e o coração aberto pra absorver tudo o que a J.K. Rowling deixou nos livros. Bem-vindo ao blog Gui! Bjo :)

Comente! ♥

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s