The Making of Harry Potter – Parte III

Olááá! Mais empolgada do que nunca voltei pra escrever a 3º (e, espero, última) parte do post sobre o Harry Potter Studios. Ontem levei 3 horas pra escrever cada detalhe da minha experiência e agora vamos ver se eu consigo terminar. Ok, terminei o último post te contando sobre a escada feita pro filme e algumas curiosidades sobre ela, vou começar esse te mostrando mais ou menos como eram feitos os efeitos especiais.

Quase no finalzinho do passeio pelo galpão, tem uma telona verde bem grande e, na frente dela, o carrinho que transporta os clientes de Gringotes para seus cofres pessoais, uma vassoura e a moto de Hagrid. Se você é fã e já viu os filmes clica AQUI! pra ver como funciona, se você clicar no minuto 9:58, vai ver direitinho como a estrutura embaixo do carrinho movimenta ele. Dava pra fazer um vídeo em cima da vassoura! Mas acho que era preciso pagar separadamente, ou não, não tenho certeza. Tinha também uma barraquinha com um homem mostrando como os efeitos de gelo e fogo eram feitos, mas sem necessidade de computador e tudo mais.

A cena dos Comensais da Morte reunidos na mansão dos Malfoy foi reproduzida perfeitamente, todos os manequins vestidos como eles sentados ao redor de uma mesa, com Nagini pronta pra abocanhar a vítima e Snape discutindo com Voldemort, os cabelos dos Malfoy também são impossíveis de esquecer. Na frente dessa cena se encontra aquela lojinha feia na Travessa do Tranco, dedicada à Arte das Trevas, Borgin e Burks, aquela da mão que agarra o Harry, lembra? Quando ele viaja pra lá acidentalmente com pó de flu pela primeira vez.

O lugar mais cor-de-rosa do universo você, que é fã, sabe onde é, né? A sala da Dolores Umbridge. Aquela bitch. Tudo bem, a sala é uma fofura, cheeeeia de detalhes pink e que lembram gatos de alguma forma. Você já notou que essa parte é onde ficam as peças mais sombrias dos filmes, certo? Então não poderiam faltar as máscaras dos Comensais, nem um protótipo de dementador!

Bem no finalzinho do tour pelo salão estavam alguns itens grandes do Ministério da Magia, como aquela estátua na qual trouxas são esmagados por uma peça muito pesada onde estava escrito “Magia é o poder”. Tinha também aquelas construções com janelas de azulejos coloridos. E lá, em cima da saída, podemos ver o último objeto do salão, o túmulo dos Riddle, inacreditável.

Droga, frio! Saímos do galpão quentinho direto pra noite da Inglaterra, nesse espaço aberto, conhecido como a segunda parte do tour, estão peças imóveis e realmente grandes como o Nôitibus, a casa dos tios do Harry, a casa dos pais do Harry, a moto do Hagrid e o Ford Anglia azul do pai do Rony, tem também algumas daquelas peças de xadrez de bruxo gigantes que o Rony teve que jogar no primeiro filme e até um pedaço da ponte de Hogwarts! De vez em quando um aparelhinho soltava um jatinho de neve na gente! Hahaha, não tem como não se apaixonar.

Chegou a última parte do tour! (Ahhh, acabei de ganhar da minha mãe O Livro das Criaturas de Harry Potter, depois vou escrever sobre ele ♥). Graças à Deus entramos em outro ambiente quentinho, uma mini salinha com vários inferis de tamanho real, um grindilow e uma Bathilda Bagshot horrorosa! Depois parece que a gente entra ainda mais na produção do filme, uma sala grande com muita coisa, na verdade, a sala onde estão as criaturas. Primeiro, à direita, dei de cara com várias máscaras e protótipos de rostos como os do Nick-Quase-Sem-Cabeça, o daquele bichinho do Nôitibus Andante, váááárias das máscaras usadas nos duendes de Gringotes. Muitos itens de maquiagem e transformações corporais também são encontrados lá, caixas de penas, pincéis, grampos, cabelo e tinta.

Outra coisa muito legal, é o jeito que eles mostram como algumas coisas funcionam por dentro, como O Monstruoso Livro dos Monstroscomo as Mandrágoras se mexiam, muita tecnologia dentro desses bichinhos! Sereianos, a cabeça de tubarão do Krum, Diabrete da Cornuália e muitas outras coisas. Umas das criaturas mais graciosas de todas é a Fawkes, a fênix de Dumbledore, e ela também está lá! Linda e majestosa, parece que vai se mexer a qualquer momento. O lobisomem Lupin também está exposto, assim como Sirius em versão animago, a cabeça do gigante meio-irmão do Hagrid tabém!

Tem uma pequena área coberta por vidro, nela está deitado um pequeno Voldemort, fraco e muito pálido, se você aperta um botãozinho, dá pra ver ele respirar e se mexer, a mesma coisa acontece com um robô da Edwiges perto dele, ele mexe a cabecinha e abre as asas se a gente aperta o botão. Se você olhar pro alto também pode ver um balão vestido de tia Guida! Hahaha, tem muita tecnologia nessa área, motores, controles e engenhocas usadas para dar vida às criaturas. Em caixas de vidro também estão estátuas de personagens, alguns em tamanho real, alguns nem tão real. Só sei que o Dumbledore é SURREAL de tão REAL! Parece que ele está de olhos fechados, mas vivo, na sua frente.

[Spoiler] Do lado dos personagens em tamanho real está o Dobby, um dos personagens mais amáveis e queridos, só que eu achei muito triste deixarem ele do jeitinho que ele morreu, com a roupa com sangue e os olhinhos fechados, mas eu acho que eles conservam as peças exatamente como elas foram encerradas no filme… tudo bem, o próprio Dobby estava lá! Hahaha, muito lindinho! Ah, minha cara na foto com ele é de indignação sobre o que acabei de falar aí em cima, ok? [Fim do spoiler]

Ahhhhhh chegou uma das minhas partes favoritas do tour! A parte das criaturas gigantes e monstruosas! Hahaha, tão legal gente! Porque mesmo sabendo que eles usaram computação pesada pra dar vida aos animais, nós também entendemos que eles se basearam em um modelo real, e estes modelos estavam todos lá! A cabeça do, se não me engano, dragão Rabo-Córneo Húngaro, um Testrálio, os ossos do Basilísco, Aragogue (!!!!!), a cabeça do Basilísco ainda vivo, a cabeça da Madame Maxime, o olho-tonto do Olho-Tonto, a perna dele também! Os sapos gigantes cantores de não me lembro qual filme também estavam lá e PARA TUDO… o Bicuço! Lindo! Ele tava deitado em uma pose majestosa e pra acabar de matar a gente do coração ele se mexia!

Clica AQUI! pra ver como o Bicuço se mexe (obs: o vídeo não é meu, encontrei no YouTube, mas foi exatamente isso que eu vi, tenho um vídeo mas não consigo colocar no blog). Ah, essas vozes por trás do vídeos são de um ator e de um dos responsáveis pelos efeitos especiais e produção do Bicuço, eu acho, nessa terceira parte do tour, tem alguns vídeos projetados na parede onde pessoas da equipe de filmagens explicam como eram feitos alguns dos efeitos. Um outro dragão pequeno que parece muito o Rabo-Córneo Húngaro (talvez seja ele) também estava suspenso pelo teto.

Saindo dessa sala, andamos um pouquinho e PÁ! estamos no Beco Diagonal, quase perdi o ar, genteeeeeeee, não dá! É muita coisa pro meu coração! Hahaha, eu não tô exagerando, aquela rua com as lojinhas Floreios e Borrões, Sorveteria Florean Fortescue, Madame Malkin, Gemialidades Weasley, Olivaras, o Gringotes, Animais Mágicos, entre outras. Incrível, tudo tão organizado que, segundo minha mãe, quem não sabe do que se trata e olha as fotos pensa “nossa que cidade mais bonitinha, onde fica?”

Arquitetos se preparem! Essa vai ser sua parte preferida! Não sei exatamente como chamar essa sessão, mas aqui vai: parte do tour onde estão as plantas, os desenhos, os projetos, as maquetes e as artes gráficas dos filmes. Antes de tudo aquilo lá atrás acontecer, precisa ser perfeitamente projetado, calculado e desenhado, pra que seja exatamente como J K Rowling descreveu nos livros e pra isso, existe uma equipe muito grande que trabalha minuciosamente nos detalhes.

Alguém teve que imaginar como seria o Dobby, alguém teve que desenhar como seria Hogwarts, alguém teve que pensar como seriam os dementadores ou como pareceriam as máscaras dos Comensais da Morte. Aliás, não só alguém, mas uma equipe inteira! Costumo conversar isso com a Dre, J K Rowling criou um mundo completamente novo e não foi fácil fazer com que esse mundo virasse realidade em proporções perfeitamente reais, resumindo, uma parte inimaginável.

Depois dos desenhos, está uma mesinha e uma redoma pequena, na frente da mesinha, uma moça explicando algumas coisas e em cima da mesa… o Mapa do Maroto! O verdadeiro (selo “guia na frente da mesinha” de confiança! Perguntei pra ela e ela confirmou) Mapa do Maroto. Alguns exemplares do Profeta Diário e duas cartas de Hogwarts assinadas pela professora Minerva. Na redoma alguns livros, identidades e cartas citados e usados no filme como o Berrador da Molly; Os Contos de Beedle, o Bardo; Animais Fantásticos e onde habitam; a passagem para Hogwarts da plataforma 9 3/4 e alguns sicles, galeões e nuques.

Passadas a redoma e a mesinha, estão vários quadros na parede, onde artistas gráficos pintaram o que imaginavam das palavras de J K Rowling, vibrantes e muito bonitos, depois, encontramos a ala das maquetes. Várias maquetes de um tipo de papelão, não sei dizer, estão disponíveis lá, Hogwarts, o corujal, uma das pontes, até o banheiro dos monitores e o navio de Durmstrang. Incrivelmente detalhados e reais.

Voilá! A parte final do tour. E sem mais demora, com vocês… a coisa mais surreal que já vi no mundo: uma maquete com escala de 1:24 de Hogwarts! O negócio é tão magnífico que, como a Europa está passando pelo inverno, a maquete estava coberta por neve. Eu já tinha visto fotos dela mas NUNCA pensei que fosse ser desse tamanho! Imaginei uma maquete grande, claro, mas não uma maior do que eu três vezes. Segundo informações encontradas no próprio estúdio, essa era a maquete usada para os takes de fora da escola, ou seja, é a verdadeira Hogwarts! Com ajuda de efeitos especiais ela se torna completamente real nos filmes, acredite, ela é até iluminada por dentro. O mais legal é que, pra chegar até a saída, você precisa dar uma volta completa por ela, 360º de arquitetura e trabalho pesado. A iluminação também muda a todo tempo, parece que o tempo vai passando, dia, noite, tarde, manhã. Como eles dizem: breathtaking. 

Depois tem uma sala enorme LOTADA de varinhas, com nomes em todas! Até o nome da J K Rowling, mas não achei o dela :( hahaha. Depois tem a loja do estúdio, ou seja TUDO o que imaginar dá pra comprar, tinha muita coisa meijmo! Varinhas, camisetas, cachecóis, chaveiros, cadernos (o Léo me deu um da Grifinória), bichinhos de pelúcia, Mapas do Maroto, sapos de chocolate (o Léo comprou um e tiramos a Rowena Ravenclaw!), feijõezinhos de todos os sabores, vira-tempos e muuuuuita coisa. Só que a libra é aquela coisa né? Segundo uma amiga “quem converte, não se diverte” mas eu não tinha muito dinheiro então fui obrigada a converter! Hahaha.

Então passamos um pouquinho mais de frio (0º) esperando nosso ônibus chegar, 21:15. Acho que é isso… hahaha. Se você pedisse minha opinião sobre os melhores lugares pra visitar enquanto estiver com tempo em Londres (afinal, não deixa de ser uma pequena viagem até a cidade de Watford) eu recomendaria essa visita entre as melhores, com certeza fãs de Harry Potter, incluindo crianças, vão aproveitar inteiramente tudo o que eu escrevi aqui.

E pra quem não for fã? Vale a pena? Não sei, apesar do lugar ser surreal de mágico e uma experiência mais que inesquecível, consigo imaginar que talvez muita gente não aproveite a visita, simplesmente por não saber do que se trata e pronto, se você não conhece os filmes, vai chegar lá e ver um moooonte de tranqueira e não vai se importar. Então cabe a você decidir se vale a pena ou não. Faça um orçamento no site do estúdio, clique AQUI! para ser redirecionado ao site que eu usei pra fazer a compra. No total, minha entrada e a do Léo + passagem de ida e volta (do centro de Londres, perto da Victoria station) ficou 100£ (libras). Confira se seu bilhete inclui transporte de ida e volta antes de comprar! Consegui um preço especial por causa do horário que eu fui.

Agora, um pequeno resumo sobre a experiência. Eu nunca imaginei que essa visita fosse ser tão satisfatória, lógico, eu soube que eu iria endoidar assim que entrasse no estúdio, mas nem passou pela minha cabeça tanto capricho por parte dos organizadores. Quando assistimos os filmes, vemos tudo pronto! Tudo perfeito, sem motivos nenhum pra gente colocar defeito. Mas o que não imaginamos é o tamanho do trabalho e da produção por trás de tudo isso. Ver uma coisa pronta e escrever sobre ela pode ser até fácil, mas ler uma coisa e fazer com que ela saia do papel e vire algo de verdade, aí é pra profissional, e que profissionais, hein?

Li no wikipédia em algum lugar que o orçamento total dos 8 filmes foi de U$ 1.550.000.000,00, e a receita mais de U$7.000.000.000,00. O investimento foi enorme e o resultado surpreendente. Quando eu digo que a cada passo era uma surpresa nova, eu não minto, teve muitas vezes em que eu quase chorei e algumas em que eu senti meus olhos se encherem de água, acho que por saber o tanto que a história do Harry foi parte da vida de muitas crianças e adultos, inclusive da minha e também por reconhecer que J K Rowling contou uma história de amor de um jeito tão sutil, tão bonito e isso ainda vai tocar corações por gerações e gerações.

Ver como tudo foi feito não estraga o sentido do filme, muito pelo contrário, me fez perceber que a magia real tá em fazer com que os outros saibam que ela realmente existe. Fazer uma história escrita virar realidade é mágica. Esse passeio foi uma das (se não “A”) melhores coisas que eu fiz nessa viagem, valeu a pena cada centavo de libra gasto. E se eu viajasse pra Inglaterra novamente esse ano, eu voltaria lá com toda certeza!

Muito obrigada pela paciência, eu queria compartilhar pedacinho por pedacinho dessa experiência e acho que consegui! Essa viagem ao mundo do Harry vai ficar pra sempre no meu coração e na minha lembrança. Inesquecível. Até o próximo post potterheads… ♥

libellule

The Making of Harry Potter – Parte II

A parte II chegou! Vou te situar a respeito da minha situ no momento… são 00:15 de uma quinta-feira, estou empolgadíssima pra escrever e então bora continuar falando sobre nossa visita ao estúdio de filmagens do Harry Potter! ✷ No post anterior eu mostrei o primeiro terço do tour, vou tentar fazer os outros dois terços caberem aqui. Ah, vou sublinhar todas as peças que eu citar e que estiverem presentes no tour, ok?

Bom, eu estava falando sobre um galpão imenso cheio de peças presentes nos filmes, certo? Então, essas peças iam desde pequenos objetos como brincos ou varinhas até móveis enormes e estruturas pesadas. Depois de ver um pouquinho do figurino da Luna, Lockhart, Delacour e Harry, a gente deu de cara com o que? Os portões de Hogwarts! Como se não bastasse, você vai um pouquinho pro lado e vê o dormitório masculino dos alunos da Grifinória, ass caminhas, as malas e até a janela… é chocante porque a cada passo eu mandava: “ooooh”, “putsssss”, “CA-RAM-BA!”, “veeeeei”, “paraaaa”, “mintchiraaaa”, “nããããão”, “Léo, to passada” e por aí vai.

Eu imagino que várias varinhas iguais tenham sido feitas pros filmes (segundo a revista TIME, Daniel Radcliffe usou cerca de 60-70 varinhas diferentes), mas ainda assim é fascinante ver alguns dos seus exemplares. Logo em seguida encontrei uma das peças que mais me deslumbrou em todos os filmes, o espelho de Ojesed, ou Erised em inglês. Na foto, você pode observar que nele está escrito “Erised strae hru oyt ube cafu oyt on wohsi”, que lido ao contrário significa “I show not your face but your heart’s desire”. Em português, “Não mostro o seu rosto mas o desejo em seu coração”, Erised (“desire” ao contrário em inglês) significa “desejo” (Ojesed ao contrário em português).

O retrato da Mulher Gorda não poderia faltar, sempre presente e dona de uma personalidade um tanto diferente, ela fez parte de todo o enredo. O salão comunal da Grifinória também tava lá, com suas poltronas, lareira e com direito a participação especial dos suéteres que a Molly fazia para os meninos, ahhh tinha também alguns manequins vestindo a roupa que a Hermione e o Rony passaram praticamente o terceiro filme inteiro usando, o moletom rosa dela e o suéter vermelho dele! Um amor… bom, andando um pouquinho mais, encontramos a capa da invisibilidade, com fundo verde e tudo, junto com algumas peças de roupas usadas por Mione e Rony. Mais figurinos a diante, o do Lupin estava vestindo um manequim que fazia pose como ele no filme, a mão dentro do bolso e do seu lado as roupas do Sirius cobrindo o boneco tatuado igualzinho a ele!

Nossa, tenho muuuuita coisa pra contar ainda, prevejo um terceiro post sendo necessário! Sem mais delongas, o Léo sentou um pouquinho e continuei minha caminhada sozinha. Acho que meu coração tava batendo mais forte, ao pé da letra. Nunca na minha vida eu testemunhei tamanho empenho pra fazer um filme acontecer e talvez eu não testemunhe outra vez (só quando eu voltar no estúdio, lógico). Quando eu via uma coisa surpreendente eu pensava: “não, esse foi o máximo que meu cérebro entende por surpresa” e cinco segundos depois eu só precisava olhar pro lado e pensar: “não, ESSE foi o máximo” e esse máximo não teve fim… até o último minuto que eu passei dentro do estúdio.

Respira gente, porque agora o negócio começa a ficar mais pesado! Hahaha. Andei mais uns três passinhos (fica tudo muito juntinho, mas não dá pra ver o salão inteiro de uma vez porque tem várias coisas no meio atrapalhando uma visão de 360º do lugar) e vi o pêndulo do Relógio da Torre, em Hogwarts. Enorme e balançando. Bem pertinho dele estava outra daquelas peças que não tem como não reconhecer, a entrada para a sala do Dumbledore, mais precisamente, aquela fênix enorme esculpida com as asas formando um abraço, esperando a senha correta pra dar acesso ao escritório do diretor.

Depois de dizer a senha que Dumbledore me deu quando eu estudei lá caminhar uns dois metros, fiquei frente a frente com a sala dele. Absolutamente inacreditável, sério, não sei como descrever aquele lugar sem usar a palavra “inacreditável”, tinha tudo lá! Vou respirar fundo e falar tudo de uma vez, lá vai: o chapéu seletor, a espada de Grifinória, a Penseira, um manequim do Dumbledore, astrolábios, váááários itens astronômicos, os vidrinhos que guardam as memórias das pessoas, e, bem, muuuito mais.

Hahahaha, chegou a vez dos objetos pequenos. Faça as contas comigo, 8 filmes, 19.6 horas, 3407 páginas (versão original) e 120 óculos usados por Daniel Radcliffe depois, dá pra imaginar a quantidade de “coisas” produzidas só pra essa série de filmes. Muitas delas eram destruídas depois de usadas, mas as principais permaneceram e estão lá, cuidadosamente distribuídas em um estúdio só pra você poder sentir um pouquinho do que J K Rowling fez pra literatura moderna.

No meio do salão tem um lugar cercado por uma tela, com muitos objetos aleatórios, que não foram dados tanto enfoque no filmes, os itens secundários, digamos assim, ou terciários, ou até mais. Dentro tinha a placa indicando Hogwarts e Hogsmead (pra mim essa merecia um lugar de destaque), uma vitrola bem grande (acho que é da cena que ele ganha o desafio dos dragões no Torneio Tribruxo masssss não confiem em mim!), alguns ossos, varinhas, pilhas de livros, lustres, aaaaah e a arpa do primeiro filme, usada pra acalmar o Fofo, lembra? E mais um monte de tranqueira.

Impressionante o que estava em volta desse cercado, prepara seu coração! Vou falar tudo de uma vez de novo! A taça do Torneio Tribruxo, o Cálice de Fogo, a Pedra Filosofal, a placa de Azkaban que o Sirius segurava na foto de procurado, o ovo de ouro, o pomo de ouro usado no sétimo filme, o deluminador, o lembrol e o vira-tempo, simplesmente de tirar o fôlego literalmente, acho que eu tinha um mini ataque no coração a cada coisinha nova que eu encontrava.

Do ladinho disso, tinha também algumas peças da sala de Defesa contra a Arte das Trevas como a vitrola do Lupin, aquele dragão pendurado no teto, até o professor Snape vestido de avó do Neville!!! Agora um dos sets mais detalhados do universo inteiro, a sala de Poções. Li que ao todo são mais de 1000 vidros e frascos preenchidos e nomeados, realmente o detalhe faz a riqueza do filme. Algumas mesinhas dispostas ao longo da sala, um Snape e outro professor e várias poções. O mais interessante é que a colher mexia dentro do caldeirão, como se estivesse enfeitiçada.

Ah! Você achou que eles não dariam os devidos créditos aos animais que interpretaram Edwiges, Canino, Bichento e Madame Norrrrrrrra? Acredite, Edwiges foi interpretada por 4 corujas diferentes, Bichento por 4 gatos e Madame Norrrrrrrra por 3. Nada mais, nada menos do que 9 cães fizeram o papel de Canino durante os filmes, meninos e meninas! Hahaha. A cabana do Hagrid também é sensacional, pequena e aconchegante mas cheia de objetos estranhos. Guardados por uma cerca pequena estava a entrada para a Câmara Secreta e a porta do cofre da Bellatrix. Lembra da cena da cobra de bronze passando em volta da porta e todas as outras abrindo espaço pra ela? Então, é arrepiante ficar perto disso tudo.

Um dos lugares mais confortáveis e familiares de todos os filmes também não podia faltar, a cozinha da Toca. Parece tão absurdamente real, aconchegante, na pia uma escova esfregava a frigideira sem parar! Hahaha. Os figurinos da Molly, Arthur e Carlinhos ou Gui e provavelmente da Gina estavam dentro da cozinha, vestindo os manequins.

[Spoiler] Aí quando você acha que já viu de tudo me vem os criadores do estúdio e colocam as horcruxes em uma prateleira de vidro, eu não sabia se eu dava risada, se eu tirava foto, se eu admirava… enfim, fiz os três. Todas estavam lá, inclusive uma foto simbólica da horcrux principal: Harry. A Nagini horrorosa também estava sendo representada simbolicamente. [Fim do spoiler]

No decorrer do passeio, mais um moooonte de coisa eu encontrava. As vassouras principais: Nimbus 2000, Nimbus 2001 e a Firebolt. Os balaços, a goles, os uniformes de quadribol, a roupa da Madame Hooch, o malão do Lupin, o baú do Olho-Tonto e uma janela que eu achei muito interessante, se você olhasse pra dentro dela, ela mostrava a sala do Dumbledore, te fazendo sentir olhando por fora do castelo. Lá também tinha a escada que se mexia (li também que só uma escada foi construída para as gravações, o resto foi tudo feito no computador).

Uau, e eu achei que fosse caber tudo nesse post. Vou te deixar tomar um fôlego antes de terminar, ok? Volto logo, logo com a terceira e última parte do post sobre minha experiência nos estúdios de filmagem do Harry Potter. Byeeee. Ps.: são 03:07… haha.

libellule

The Making of Harry Potter – Parte I

dsc_0055

O estúdio de filmagens dos filmes do Harry Potter (obs; essa primeira foto do estúdio não é minha, eu encontrei no Google), com certeza, foi um dos lugares mais absurdamente incríveis que eu já conheci na minha vida… sem exagero nenhum. Gente, por favor! Estar em um ambiente junto com tanta coisa que foi usada no filme é quase mágico de verdade. Eu pensava que fosse ser uma experiência de outro mundo, mas acabou sendo mais do que isso, eu quase chorei kkkk, sério! O estúdio não fica na cidade de Londres, é longe um pouquinho, 40 minutos de ônibus mais ou menos. Assim que eu desci do ônibus dei de cara com aquele lugar imeeeeenso e só de olhar o tamanho já dá pra ter uma ideiazinha de que tem MUITA coisa lá dentro! Não precisei nem entrar pra começar a visita, logo na frente da construção já fiquei impressionada, algumas daquelas peças gigantes de xadrez de bruxo que o Rony teve que enfrentar no primeiro filme estavam lá fora, enooooormes. A sensação que dá ter o primeiro contato com uma das peças do set é de arrepio, você nem sabe o que sentir direito, pode parecer muito bobo pra quem não gosta, quase uma idiotice, mas pra quem conhece toda a história, o sentimento é impagável.

Um pouquinho antes da porta que dá entrada ao estúdio tem uns suportes de um metro, mais ou menos. Se você chegar perto vai perceber que em cima deles tem as mãos da Emma Watson, Daniel Radcliffe e Rupert Grint marcadas em uma espécie de cimento, a mão do Daniel é tão pequena que só é um pouquinho maior do que a minha, muito show. Ok, agora a entrada. Quando entrei no galpão, observei um café do lado esquerdo, algumas fotos dos personagens enooormes na parede, uma loja ao lado direito e uma árvore de Natal enorme! Um pouquinho mais à frente tinha uns marcadores de fila onde eu supus que seria entrada para o tour. Assim que o Léo e eu entramos na fila (que não tinha ninguém) a gente olhou pro lado e escondido na parede adivinha o que estava? O armário sob a escada, sob a escada! Gente…….. hahaha, tinha tudo lá dentro, a cama dele, os sapatos e até um ventiladorzinho.

(Se você não quiser estragar a surpresa quando você for visitar os estúdios pule este parágrafo!) Passado o choque dessa primeira parte, a nossa vez chegou! Fomos conduzidos em um grupo de 40 pessoas, mais ou menos, pra uma salinha cheia de visores onde eram passados vídeos sobre a história dos livros da J K Rowling e sobre os produtores  dos filmes, aliás sobre toda a equipe Harry Potter em geral. Depois disso, portas se abriram do outro lado da sala, então entramos em um mini cinema. Na tela grande Emma, Daniel e Rupert falavam sobre como havia sido passar 10 anos filmando as sequências e como aquilo tudo era mágico (detalhe: era uma montagem deles atrás da porta de carvalho do castelo de Hogwarts). Quando o filme acabou, eles entraram na porta atrás deles. Até aí tudo bem, já até tinha me recuperado do armário sob a escada quando DO NADA, a tela de cinema sobe (ou cai, não lembro) e a porta de carvalho tá lá! Em “carne e osso” (ou carvalho) esperando pra ser aberta… nessa hora eu me arrepiei completamente, acho que eu nem pude evitar a sensação, foi tão inesperado que sei lá!

Uhuuuuul! O tour começou! Fiquei esperando loucamente o momento em que a guia iria abrir a porta e aí a gente deu de cara com o salão comunal… ai, ai, meu coração não estava preparado pra tanto! O salão é grandão mas no filme parece maior, retiraram as duas mesas do meio, pra facilitar a circulação eu acho. Tinha de tudo lá, copos, pratos, garfos, comida falsa, guardanapos enrolados com os símbolos das quatro casas, uniformes dos estudantes e até a mesa dos professores com o figurino de vários deles, do Dumbledore, da Minerva, do Snape e até do Filtch tadinho. Você tem 10 minutos pra ficar no salão comunal, mas no resto do tour você pode ficar o quanto quiser, lógico, não da pra ficar morando lá né, eu pesquisei :), acho que é pra outra turma entrar porque quando chegamos o salão estava vazio.

Ok, agora sim! O tour realmente começou! É como se fosse um galpão enorme, cheeeeeeeeeeeeeio de coisas. Nós saímos do salão e entramos nesse lugar. É lá que fica a maioria das coisas pequenas e médias, então você pode ter uma ideia da gigantez do lugar. Ao caminhar por lá, a primeira coisa que eu encontrei foram alguns dos figurinos usados pelos personagens no Yule Ball, lembra? Aquele baile que aconteceu no quarto livro, uma tradição do torneio Tribruxo! Então, até aquela roupa horrorosa do Rony tá lá! Hahaha, o vestido lindo cor de rosa da Hermione e alguns outros trajes. Tem também uma das mesas de bebidas que foram distribuídas pelo salão no dia da festa.

Um pouquinho mais pra frente tinha uma estante cheinha de perucas de vários personagens! Achei engraçado porque eu pensava que só aqueles que tinham os cabelos mais diferentes que precisavam de peruca mas a Hermione e o Harry também já usaram. Pra falar a verdade, tem figurinos por todo o estúdio, nesse pedaço tinham alguns da Luna Lovegood, Gilderoy Lockhart e do Harry. Tem uma curiosidade bem legal sobre a última foto da galeria abaixo, a guia nos disse, se não me falha o inglês haha, que haviam 50 figurinos iguais à esse, o primeiro perfeito, o segundo um pouco sujinho, o terceiro mais amassado, o quarto com um rasgo pequeno e assim vai. Legal, né? Pra mim eles usavam dois, no máximo, e iam rasgando à medida que as cenas iam correndo!

Tá bom já pra Parte I. Hahaha, logo logo eu trago a Parte II, e a III, e a IV, e a V… nunca se sabe, né?

libellule

XOXO, Gossip Girl :(

Ok, provavelmente esse vai ser o post de imagens mais longo que eu já escrevi neste humilde blog, mas não encontrei outra forma para expressar meu eterno amor por Chuck e Blair Gossip Girl. Só pra começar, essa foi a única série na minha vida que eu vi até o final, simmm, os 120 episódios completos… ela será meu guilty pleasure pra sempre. Se você não estiver preparado para os spoilers pare de ler aqui mesmo, porque serão muuuuitos! Finalmente terminei a série nesta manhã e estava guardando pedacinho por pedacinho das minhas emoções pra escrever um pouquinho sobre tudinho o que pensei sobre a ela.

Comecemos então com os outfits. Como já fiz um post inteiro dedicado somente à Blair, decidi dedicar essa parte do post à todas as peças de roupas mais bonitas usadas no decorrer das seis temporadas e ao casal mais lindo do mundo televisivo “CHAIR” our Chuck and Blair. Vou confessar que a série não retrata exatamente o mundo real, até porque aposto que nem no Upper East Side verdadeiro as coisas se resolvem tão peculiarmente como em GG… e infelizmente a série foi perdendo a essência (a não ser por Chuck e Blair, claro, mesmo não fazendo sentido, fazem todo o sentido).

Juro que tive dó da Serena no fim da quinta temporada, não sei se foi porque a Leighton ROUBOU a cena ou se foi porque os roteiristas simplesmente se esqueceram dela. Pra quem assistiu, que merda foi aquela de Charlie/Lola? Isso sem mencionar a Juliet e os 200 namorados da Serena! Ela se apaixonava loucamente por cada um que conhecia e no final ainda fica com o otário do Dan? Ele é fofo, mas é um idiota! Além de ser a própria Gossip Girl/Boy encarnada, é um falso moralista + fútil. Casal Lily e Rufus também foi parar na lista dos casais mais sem graça dos últimos 100 anos. Nate?! Ficou um pouco perdido na história, mas gostamos dele, afinal de contas, juntos formam o non judging breakfast club, our favorite upper east siders.

Marc Jacobs, Oscar de la Renta, Carolina Herrera, Vera Wang… estes foram só alguns dos nomes de estilistas que vestiram a Serena e a Blair durante as 6 temporadas, há quem diga que Gossip Girl é o novo Sex and the City. Não concordo, apesar da paixão que todas elas têm por New York, os temas e conflitos são muuuuito diferentes, a começar pelo enredo de Sex and the City que é bem realista, ao contrário de GG que acaba se perdendo na ficção de vez em quando. É, eu sei que é esquisito, falar mal da série e ao mesmo tempo gostar tanto! Hahaha, não sei explicar, já disse é meu guilty pleasure.

Isso é de tirar o fôlego… elas são tão bonitas e sofisticadas e a Blair é tão classy! Agora vou falar um pouquinho sobre Chuck & Blair. Acho que nunca vibrei tanto por um casal, fiquei p* da vida a cada namorada nova que ele arrumava e torcia pra Blair destruir a dita-cuja! Torci por eles desde a segunda temporada (na primeira eu torci pelo Nate) e mesmo o Chuck sendo o cara mais cretino de Nova Iorque, é im pos sí vel not to fall in love with him! É uma série gente, vamos dar um descontinho! Blair teve uns 7, 8 namorados (incluindo o  príncipe {nada príncipe} Louis), mas sempre voltou pros braços do Chuck, que a propósito é tão classy quanto ela. Three words, eight letters, gente!

Quase me esqueci! O que é uma história sem seus personagens odiáveis/inúteis/que só servem pra atrapalhar? NADA! Por isso deixo aqui um recado  praa Vanessa, Jenny, Juliet, Charlie/Ivy/Lola, Nelly Yuki, Ben, Damien, filho perdido do Rufus e da Lily, Eva, Raina, Diana Payne e etc: vocês são péssimos!

Gente, esse é meu mini tributo… GG vai fazer falta mas vai ficar pra sempre no meu coração! Hahaha, XOXO.

Soundtrack Pequena Miss Sunshine

tumblr_mb4fhz8QTo1rc22qso1_1280

Esses dias eu tava assistindo Meu Pedacinho de Chão (que é a coisinha mais bonitinha) e ouvi uma música muito bonita que eu sabia que tinha ouvido antes, no filme da Pequena Miss Sunshine. No computador da família, antigo, eu e minha mãe compartilhávamos uma pasta de músicas e dentro dela tinha vários soundtracks, entre eles, umas três musicas desse filme, lindo a propósito. Então resolvi pesquisar sobre sua trilha sonora. DeVotchKa, um grupo musical, contribuiu com a maioria das músicas presentes no CD do filme, que possui 14 músicas. Eu tenho minhas preferidas, claro, como “The winner is”, “Till the end of time”, ‘Do you think there’s a heaven” e “How it ends”, músicas muito bonitas e, coincidentemente, todas do DeVotchKa. Eu queria conseguir incorporar o áudio aqui no post, mas pelo jeito não vai ser possível, então pode clicar AQUI! pra ouvir a lista completa…

Game of Thrones

gotHello my deeah (dear na minha versão britânica), hoje eu entrei pra falar specially about Game of Thrones! Não consigo tirar aqueles sotaques da minha cabeça… no bom sentido. Eu sempre ouvi falar sobre GoT, também já li sobre em alguns blogs, mas nunca parei pra assistir, não sei nem dizer o porquê! Acho que eu pensava que fosse uma série muito pesada, longa e cansativa de se acompanhar. Bom, eu estava certa em partes, realmente é uma série pesada, e tem os episódios mais longos que eu já vi, não que isso seja ruim, de jeito nenhum! É que não cabe tanta coisa boa em meros 45 minutos tradicionais. São em média 57 minutos de episódios, alguns com 53, alguns com 58, o último episódio da segunda temporada tem 65!

Quando eu acho que a série é boa mesmo, pra mim ela é boa mesmo e pronto, pode vir o melhor crítico do universo e dizer que a série nem é tudo isso, eu não vou concordar. Não que os críticos digam isso sobre Game of Thrones, porque a aprovação é grande. Comecei na quinta-feira e cá estou, 3 dias e 21 episódios depois, na terceira temporada. Isso porque hoje não vi nenhum, aliás, nenhum novo porque recomecei com o meu namorado. GoT é baseada em uma série de livros, que ainda nem foi terminada, escritos por George R. R. Martin, nomeada As Crônicas do Gelo e do Fogo. A história é sobre lutas entre famílias nobres pra tomar o Trono de Ferro, com vários enredos e várias ameaças adicionais. Resumindo, a série é foda pra carambaaaaaaa! É tensa, bruta, intensa…! Você vibra a cada episódio, morre de raiva, de nojo, tem vontade de chorar, de esmagar certos personagens, tem hora que dá vontade de pausar só pra bater palmas e tem hora que você precisa checar todas as saídas do seu computador pra ver se não tá vazando sangue do pessoal. O negócio é brabo.

Isso tudo sem falar na paisagem que é mara, os atores e atrizes são ótimos! O figurino então, sem comentários, a série é muito bem feita, li em algum lugar que são gastos em média U$ 6 milhões pra fazer cada episódio. O mais caro chegou à U$ 18 milhões, dá pra acreditar? Não consigo nem imaginar o tanto de dinheiro que isso é. Os efeitos são impecáveis e a série oferece tudo pra você mergulhar de cabeça na história.

Ok, vou falar um pouco sobre os meus personagens preferidos, como a khaleesi Daenerys Taragaryen (ps: é a da foto no começo do post), uma fofa, uma rainha nata. Ela tem o cabelo super branco e é tão doce e forte ao mesmo tempo, ela não desiste do que realmente quer e protege seu novo povo com todo o coração, não posso falar muita coisa porque se não acabo revelando detalhes importantes da série, mas ela é incrível e é minha candidata favorita ao Trono de Ferro. A khaleesi é vendida a um khal, bem no comecinho, conhecido como khal Drogo, a princípio ele dá medo, um homem enorme, com uma maquiagem escura nos olhos e um cabelo gigantesco mostrando que ele nunca perdeu uma luta, mas logo eles viram um dos casais mais bonitos que existe. A história dos dois é linda. Vale a pena assistir.

Tem também a Arya Stark, uma menina que é mais valente que muitos homens daquele reino, todos confundem ela com um menino por causa das roupas que ela usa, ela é incrível e muito corajosa. É filha do Lorde Stark, um dos homens mais bons da série. Aliás aparentemente toda família Stark em si, pelo menos os membros mostrados até agora, têm um coração muito bom. Jon Snow não é um Stark de nome, porque é bastardo (filho do Lorde Stark mas não da Lady Stark), mas tem o sangue bom da família, é meu personagem homem predileto. Falando em personagens homens prediletos, tem também o Tyrion Lannister que veio de uma família rica e poderosa, porém desprezível no quesito caráter, ele é anão e por isso foi muito desprezado pela família, ele não é uma pessoa boazinha, mas acredito que seja do bem! Também gosto muuuito da Sansa, do Bran e da Osha.

Assim como tem personagens mocinhos, tem também os super vilões, aliás 9/10 personagens são do mal em GoT, se você for contar com todos os moradores das cidades. Mas os mais perversos são coincidentemente membros de algum escalão poderoso, tipo a Cersei, a rainha. Gente que bruxa. Ela é linda, mas é uma cobra! Joffrey, filho da Cersei, é o pior de todos porque além de tudo ele é fraco e um covarde de 16 anos. Tem também uma quantidade infinita de Lordes, camponeses, escravos, senhores e pessoas em geral muito ruins em Game of Thrones, mas faz parte né? Fazer o que?

Well, I think I’m done. Nota 1000 pra GoT, se você tiver mais de 18 anos, eu recomendo! Vou deixar aqui embaixo uma galeria de fotos lindas pra você conhecer um pouco deles! Comenta se você assiste! Bye!

O que eu andei assistindo nas últimas semanas

macOie! Acho que eu ainda não te contei ainda, mas eu amo assistir filmes e séries, amo mesmo, e ultimamente tenho assistido muitos. Vou falar sobre os que realmente são interessantes e vou deixar meu preferido por último. Um dos filmes que vi nas últimas semanas foi The Bling Ring, é um filme bem diferente, você já deve saber a história, baseado em fatos reais ele conta como alguns (algumas meninas e um menino) adolescentes basicamente entediados resolvem invadir a casa de Paris Hilton, Lindsay Lohan, Orlando Bloom e companhia pra roubar artigos pessoais tipo sapatos e roupas e jóias. Dá pra acreditar? No fundo é um filme triste, eles ficam loucos com o que conseguem fazer sem serem pegos e ainda saíam pelas ruas de LA com os objetos roubados. O filme não é exatamente uma crítica à esse tipo de vida fútil e vazia que muitos teens têm, ele mostra o que mostra, simples e diretamente, como eles roubavam e o que eles faziam depois até a polícia conseguir prendê-los. Um filme so so.

Frozen, que filme lindo! Pra todas as idades, TODAS! Ele conta a história de um reino e de duas princesas, Anna e Elsa. A Elsa nasceu com o poder de transformar tudo em gelo mas quando elas ainda são pequenas, ela congela o cérebro da Anna sem querer, brincando. Anna logo é curada, mas não se lembra mais dos poderes da irmã, que passa por anos, a maior parte do seu tempo trancada no quarto, pra aprender a controlar a magia. O resto você tem que assistir! É lindinho demais, e o final muda toda aquela velha história que já conhecemos! Por falar em final que muda toda a concepção, assisti Malévola também, gente a Disney tá caprichando mais que o normal! Imagina a história de uma das bruxas mais más dos contos de fadas contadas a partir de oooutro ponto de vista? O resultado é lindo! A Angelina Jolie é tão linda e parece até que o papel foi feito pra ela. Lindo filme!

Hmmmm, que mais? Ah, Godzilla, gostei muito! Nosso Walter White também tá no filme, nerd e foda como sempre! Mas não vai assistir pensando que a história gira em torno dele, porque eu fui e me decepcionei. Mas só me decepcionei com isso. Também achei que o outro monstro, sem ser o Godzilla, podia ser mais feio, assustador e escamoso. Aprovei! (Tenho uma queda enorme por filmes de tubarões/cobras gigantes/crocodilos/dinossauros/animais enormes e muito muito muito assustadores). X-men: Dias de um Futuro Esquecido? SEM COMENTÁRIOS, saí do cinema quase chorando de emoção! O melhor dos X-men! Só fiquei triste em saber que vai ter outro… vão arrumar mais problemas pro Wolverine será? :( Resumindo, filmaçoooo! Pode ir ver! Amei, sem mais!

Não consigo me lembrar dos outros, mas quando eu me lembrar eu venho escrever sobre eles aqui, agora vou guardar o final do post pra falar sobre o filme mais lindo do mundo, A Culpa é das Estrelas. Demorou pra chegar aqui onde eu moro mas finalmente chegou! Eu tava esperando esse filme como nunca esperei outro antes e ele correspondeu exatamente à todas as minhas expectativas, exceto por aquela que eu tinha de que iria chorar bem mais do que no livro, por estar vendo a coisa toda e tal. Mas foi ao contrário, no livro foi um sentimento diferente, acho que é porque dá tempo de descrever tudo aquilo que o personagem sente e é seu dever esse negócio de imaginar tudo, no filme eles te dão tudo pronto. Mas o filme ficou maravilhoso, o Gus, a Hazel, tudo exatamente no seu lugar, segue minha dica e vai ver o filme! É verdadeiramente bonito… ah! não deixe as meninas exageradamente mal educadas estragarem o momento, elas e as mães delas sabem exatamente como estragar uma cena bonita, mas não permita. Anda, o que tá esperando? Go go go!

Filmes que eu vi essa semana: O Lado Bom da Vida, Confissões de Adolescente e Namoro ou Liberdade

movies 1O filme tem que ser muuuito ruim pra eu não gostar nem um pouquinho dele, mas tem que ser bom pra ficar na minha cabeça por pelo menos uma semana. Assisti 3 filmes nessa que passou: O Lado Bom da Vida (nome mais bobo pra um filme que originalmente se chama Silver Lining Playbook, vou colocar a tradução livre na descrição ali embaixo!), Confissões de Adolescente e Namoro ou Liberdade (nome mais bobo ainda pra um filme que originalmente se chama That Awkward Moment, que em português significaria mais ou menos “aquele momento constrangedor”). Criei essa categoria “filmes que eu vi essa semana” porque eu amo ver filmes tanto quando gosto de ler livros e assim como eles, filmes também me deixam intrigada, às vezes de um jeito bom, às vezes um jeito ruim, e escrever sobre isso é sempre uma boa saída! Pra falar a verdade, assisti Noé essa semana também, mas vai ficar pro próximo post. Aqui embaixo está minha opinião sobre os três filmes citados ali em cima.

Namoro ou Liberdade

Direção: Tom Gormican
Produção: Justin Nappi, Andrew O’Connor, Scott Aversano, Kevin Turen, Zac Efron
Roteiro: Tom Gormican
Elenco: Zac Efron, Miles Teller, Michael B. Jordan, Imogen Poots, Mackenzie Davis, Jessica Lucas
Orçamento: $8 milhões de dólares
Ano de lançamento: 2014

Sabe aqueles filmes que são um amorzinho de assistir? Nossa, que adjetivo mais inapropriado pra se descrever alguma coisa! Hahaha, vou tentar me explicar… sabe aquele filme, água com açúcar, que não pesa, não te faz pensar no verdadeiro sentido da vida/filosofar/querer lutar por um destino inesquecível? That Awkward Moment (desculpa eu me recuso a usar a tradução) é um destes. Um filme que fala sobre amizade, amor e o significado de “estar junto”. Zac Efron e Imogen Poots formam um casal muito fofo e apaixonante! Os amigos dele também são bem divertidos! Não vou contar um resumo, mas se você quiser saber um pouquinho, clica no link do filme ali em cima e você vai ser redirecionado ao site “Adoro Cinema”, lá tem um resumo bem interessante. A minha opinião é: vale a pena assistir! Sozinha, com a amiga ou com o namorado. Um filme que pode não mudar nada na vida de alguém (ou talvez até mude! quem sou eu pra afirmar tal coisa?) mas recomendado por mim… próximo!

Confissões de Adolescente

Direção: Daniel Filho
Roteiro: Matheus Souza (*O filme é baseado na série de televisão Confissões de Adolescente, exibida entre 1994 e 1996 na TV Cultura e na TV Bandeirantes, que é baseada no livro de mesmo nome escrito por Maria Mariana e estrelado por Deborah Secco, Maria Mariana, Georgiana Góes e Daniele Valente que também estrelam o filme)
Elenco: Deborah Secco, Maria Mariana, Georgiana Góes, Daniele Valente, Sophia Abrahão
Ano de lançamento: 2014
Orçamento: R$ 9 milhões

Tem filme brasileiro que chega dar medo (que país não tem os seus?), mas os filmes mais recentes tão chegando com tudo! Confissões de Adolescente é muito bonitinho! Talvez mostre um cotidiano adolescente um pouco romantizado, mas mesmo assim, gostei do filme! Eu adoro esse tipo de história… ela narra um pedacinho da vida de vááááários adolescentes, uma grávida, uma que sofre bullying, uma muito chata, uma que tá revoltada porque não aceita ser aquilo que o pai quer e até um que se veste de vampiro pra agradar a menina que ele gosta. Tem Sophia Abraão, Cássio Gabus Mendes, Deborah Secco, Hugo Bonemer e assim vai. Eu não ia com a cara da Sophia Abraão mas até que to achando ela simpática depois de assistir Confissões de Adolescente, hahaha. Resumindo, outro filme que não vai mudar o rumo da sua vida, maaaas gostei da(s) história(s)!

O Lado Bom da Vida

Direção: David O. Russell
Produção: Bruce Cohen, Donna Gigliotti, Jonathan Gordon
Produção executiva: Bob Weinstein, Harvey Weinstein, Bradley Cooper, Michelle Raimo Kouyate, George Parra
Roteiro: David O. Russell
Baseado no livro The Silver Linings Playbook, de Matthew Quick
Elenco: Bradley Cooper, Jennifer Lawrence, Robert De Niro, Jacki Weaver, Chris Tucker
Ano de lançamento: 2012
Orçamento: US$ 21 milhões

Deixei O Lado Bom da Vida por último porque foi o melhor dos três, cada um foi bom do seu jeito, mas esse com certeza chamou minha atenção. Encontrei em um site a seguinte explicação para o nome original: “silver Linings é uma expressão em inglês que significa o contorno prateado da nuvem quando está escondendo o sol, que significa o mal que vem para o bem. E playbook é uma expressão do futebol americano, um caderno onde se anota estratégias, planos, resultados… Então Silver Linings Playbook é um conjunto de informações de uma série de fatores ruins que resultam em uma coisa boa.” Dá pra imaginar a história né? Bom, o filme foi baseado no livro de mesmo nome, escrito por Matthew Quick, foi lançado em 2012 e graças a ele, Jennifer Lawrence ganhou seu primeiro Oscar de melhor atriz. Preciso dizer que fui à livraria semana passada e tive vontade de comprar o livro, mas ele não chamou muuuito minha atenção então acabei levando outro. Os personagens principais Pat, interpretado por Bradley Cooper e Tiffany, vivida por Jennifer Lawrence são pessoas que sofrem problemas psicológicos e acabaram de passar por diferentes tipos de perdas. E se envolvem de uma forma muito diferente e bem longe de um romance (?) normal… Obs: e de quebra ainda tem Robert De Niro no elenco. O filme me envolveu em uma mistura de sensações, dá vontade de rir, dá raiva, tem horas que dá até uma dorzinha pequena no coração… mas eu gostei muito da história, é lindinha!

Bom, é isso aí! Três filmes bem descontraídos e sem nenhum compromisso grande com a realidade, recomendados também pra quem tá precisando curtir uma fossa! Hahaha, um beijo! ♥